DISTORÇÕES   COGNITIVAS TÍPICAS

Pensamento do tipo tudo ou nada (dicotômico, preto-e-branco, polarizado)
Você vê uma situação em apenas duas categorias em vez de em um contínuo, ou em "escalas de cinza"  (8 ou 80, tudo está ou muito bom ou tudo está muito ruim, alguma coisa ou é perfeita e ideal ou completamente imprestável, etc).
Catastrofizando (adivinhação)
Você prevê o futuro negativamente sem considerar outros resultados mais prováveis. Descarta ou deixa de considerar possibilidades até mais realistas sobre o resultado de algo, "adivinhando" algum suposto resultado, até mesmo sem elementos concretos de dedução lógica..
Desqualificando ou desconsiderando o positivo
Você irrazoavelmente diz para si mesmo que experiências, atos ou qualidades positivos não contam. Ex. "Apenas tive sorte", ao invés de "Foi por mérito meu! É uma conquista!".
Argumentação emocional
Você pensa que algo deve ser verdade porque você "sente" (na realidade acredita) isso de maneira tão convincente que acaba por ignorar ou desconsiderar evidências contrárias e às vezes mais lógicas.
Rotulando
Você coloca um rótulo global e fixo sobre si mesmo ou sobre os outros sem considerar que as evidências poderiam ser mais razoavelmente conduzidas a uma conclusão menos desastrosa.
Magnificação/ minimização
Quando você avalia a si mesmo, outra pessoa ou uma situação, você magnifica irracionalmente o negativo e/ou minimiza o positivo
Filtro mental
Você presta atenção indevida a um detalhe negativo em vez  de considerar o quadro geral.
Leitura mental
Você acha que sabe o que os outros estão pensando, falhando assim ao considerar outras possibilidades mais prováveis e até mais lógicas.
Supergeneralização
Você tira uma conclusão negativa radical que vai muito além da situação atual. A dedução ou análise sobre o resultado de algo tende sempre pro lado negativo e catastrófico, desconsiderando completamente nuances e detalhes diversos, possibilidades diferentes etc.
Personalização
Você acredita que os outros estão se comportando negativamente devido a você, sem considerar explicações mais plausíveis para o seu comportamento (como se você realmente fosse o centro das atenções, você lê o pensamento dos outros e "interpreta" suas reações como sendo hostis, contrárias a você).
Declarações do tipo "eu deveria" e "eu devo" (imperativas)
Você superestima as expectativas que os outros possam ter de você, impondo-se a necessidade de que essas espectativas sejam totalmente preenchidas, culpando-se caso não o sejam.
Visão em túnel
Você apenas vê os aspectos negativos de uma situação (não olha para "os lados").

 

 

 


 Home

 

 

  Site Map